Carolina Lemes

Jornalista por formação (FAAT-2010), atuou em jornalismo radiofônico até 2013, quando passou a fazer parte da equipe da Gazeta da Cidade.

#NenhumHectareaMenos

Nesta semana, este espaço falará da ação da WWF-Brasil, uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza, com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Criado em 1996, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede mundial independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

O espaço para a ONG é justo, pois ela está lutando contra a redução de áreas protegidas no Brasil. Na quinta-feira, dia 17 de agosto, a ONG reforçou a campanha pela manutenção das áreas protegidas brasileiras. Há em curso no Congresso Nacional um projeto de lei que ameaça florestas na Amazônia. Após vetar a Medida Provisória (MP) 756, que propunha uma drástica redução da proteção na Floresta Nacional (Flona) de Jamanxim, no Pará, o governo apresentou um novo Projeto de Lei – Nº 8.107/2017.

O jornalista e apresentador Marcelo Tas e o diretor e ator peruano radicado no Brasil, Enrique Diaz, se mostraram preocupados com o assunto e encabeçam a nova fase da campanha. “Eu sei, você sabe, todo mundo sabe: a Amazônia precisa ser preservada. O Brasil não aceita reduzir suas áreas protegidas”, frisa Tas no vídeo da campanha. Já Enrique Diaz afirma: “O Brasil poderá sofrer boicote de países que têm vetado a importação de produtos associados ao desmatamento, como a França, por exemplo. E para piorar, se é que é possível, o PL 8.107 vai virar um efeito dominó sobre as demais florestas brasileiras, servindo de modelo para reduzir outras áreas protegidas”.

O PL 8.107 tramita em regime de urgência. A redução das áreas protegidas pode, inclusive, contribuir para agravar o aquecimento global. Querem anistiar o crime de invasão de terra pública, abrindo caminho para o garimpo, o corte ilegal de madeira e o desmatamento neste pedaço vital da Amazônia.

No final de julho, organizações ambientalistas – Greenpeace Brasil, ICV, Imaflora, Imazon, IPAM, ISA, TNC Brasil e WWF Brasil – se uniram e lançaram uma nota sobre as consequências destrutivas desta medida para o meio ambiente e o Brasil.

“Repudiamos o PL apresentado pelo governo ao Congresso Nacional e pedimos, como representantes da sociedade civil, a sua rejeição. Qualquer redução dos limites acarretará em mais conflitos na região e também em mais desmatamento, que, por sua vez, coloca em risco o futuro econômico do Brasil e o futuro climático da região”, diz a nota.

As organizações alertam que: o PL representa um subsídio de pelo menos meio bilhão de reais aos grileiros que dominam a região; o PL não visa atender às pequenas propriedades (até quatro módulos fiscais) ou à agricultura familiar. A área média requerida por ocupantes da Flona é de 1.700 hectares, ou seja, quase 23 vezes um lote da agricultura familiar, que naquela região tem 75 hectares; a Flona do Jamanxim foi a Unidade de Conservação mais desmatada entre 2012 e 2015. Com a medida, o desmatamento na região pode mais que dobrar até 2030, com corte extra de 138 mil hectares e emissão de 67 milhões de toneladas de gás carbônico; dentro dos 354 mil hectares – ou seja, 30% de diminuição da área protegida -, há 312 embargos ambientais, resultado de grandes operações realizadas pelo Ibama na região. Ou seja, ao conceder a regularização fundiária dessas áreas, o Estado brasileiro desmoraliza ainda mais a própria política pública de controle do desmatamento, premiando com terra os criminosos.

TV digital pode chegar a Extrema até dezembro de 2023

162447473

São Paulo já passou a contar com televisão digital aberta. Aproximadamente sete milhões de domicílios com TV na capital paulista podem usufruir da inovação, que acaba com os chuviscos e os ruídos do sistema analógico. A tecnologia também já alcançou o Distrito Federal. O último local que passou a contar com o sinal exclusivamente digital foi Recife (PE), no dia 26 de julho.

O sinal analógico será desligado no dia 8 de novembro em Belo Horizonte e nas 38 cidades da Região Metropolitana. Em Extrema, o sinal será cortado até o dia 31 de dezembro de 2023, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Como Extrema fica a mais de 400 quilômetros de distância da capital mineira, não é necessário que a mudança seja feita em ambas as cidades simultaneamente.

O serviço de TV aberta analógica foi inaugurado no Brasil em 1950. Em 1972, foi iniciada a transmissão em cores. Agora, até 2023, a TV digital será o único sinal de TV aberta/gratuita a ser transmitido no Brasil. A tecnologia possui possibilidade de mobilidade, podendo ser sintonizada, também, no celular, tablet, no automóvel ou em qualquer outro dispositivo portátil ou móvel; e multiprogramação, ou seja, no mesmo horário, o telespectador pode assistir a diferentes programas em um único canal.

O desligamento do sinal analógico também irá liberar a faixa de 700Mhz para que a oferta de internet 4G possa ser expandida por todo o país, de acordo com a Seja Digital – EAD, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para digital da televisão aberta no Brasil.

O desligamento do sinal analógico de TV nos municípios brasileiros teve início em fevereiro de 2016, em Rio Verde – Goiás, e vem progressivamente abrangendo as cidades do país. Até o momento, mais de 80 municípios já passaram a contar somente com o sinal digital de televisão. Até o fim de 2017, oito capitais, além do Distrito Federal, estarão sendo atendidas apenas com TV digital. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) estima que 1,3 mil cidades já estejam com o sinal analógico desligado em 2018.

Para assistir aos canais digitais, em cidades onde já houve a atualização da cobertura, é preciso um conversor digital embutido no próprio televisor ou comprado à parte e instalado em uma TV com entrada de sinal digital, e uma antena UHF. Lembrando que a TV a cabo já conta com canais digitais.

Mais informações sobre a mudança, datas da cobertura nos municípios, entre outros detalhes da migração do sinal analógico para digital podem ser encontrados nos sites: www.dtv.org.br e www.sejadigital.com.br.

Cronograma de desligamento do sinal analógico até 2018

Fortaleza (CE) e Salvador (BA) – Desligamento: 27 de setembro de 2017; Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES) – Desligamento: 25 de outubro de 2017; Belo Horizonte (MG) – Desligamento: 8 de novembro de 2017; Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS) – Desligamento: 31 de janeiro de 2018; São Luís (MA) – Desligamento: 28 de março de 2018; João Pessoa (PB), Aracaju (SE), Belém (PA), Maceió (AL), Manaus (AM) e Natal (RN) – Desligamento: 30 de maio de 2018; Teresina (PI) – Desligamento: 31 de maio de 2018; Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Macapá (AP), Palmas (TO), Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC) – Desligamento: 28 de novembro de 2018.

Mais qualidade de vida: pílula anti-HIV e autoteste de HIV

O laço vermelho é o símbolo da luta contra a Aids e foi escolhido devido a sua ligação ao sangue e à ideia de paixão

Algumas novidades importantes foram divulgadas recentemente e trazem mais motivação para a saúde e qualidade de vida dos pacientes com HIV, além de beneficiarem, também, as pessoas que ficam mais expostas ao risco de contrair Aids, como homens que têm relações com homens e profissionais do sexo.

Pílula anti-HIV

O Ministério da Saúde vai disponibilizar, até final de novembro, a pílula anti-HIV no Sistema Único de Saúde (SUS). A Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) protege contra o vírus. O remédio é conhecido como Truvada e sua indicação já está aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Inicialmente, o medicamento será destinado a um grupo de sete mil pessoas, das seguintes cidades que participaram do projeto piloto para o uso da pílula: Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife, Manaus, Brasília, Florianópolis, Salvador e Ribeirão Preto.

O comprimido já é utilizado em outros países, como, por exemplo, nos Estados Unidos, e sua eficácia ultrapassa os 90%, segundo o Ministério da Saúde. No entanto, os pacientes devem ser acompanhados por médicos, pois, em longo prazo, o remédio pode causar problemas renais e alterar a calcificação dos ossos.

A pílula deve ser ingerida uma vez ao dia, já que previne a doença, ou seja, não tem efeito de pílula do dia seguinte. Vale ressaltar que o comprimido não protege contra as demais doenças sexualmente transmissíveis (DST), então nada de querer apagar a camisinha da sua vida, ok?

Autoteste de HIV

As farmácias de todo o país estão começando a vender o autoteste para detectar a presença do vírus HIV no organismo. De acordo com o Ministério de Saúde, o produto deve custar entre R$ 60,00 e R$ 70,00, e pode ser comprado sem receita médica. A testagem produz resultado ao menos 30 dias após o contato com o vírus. O Brasil é o primeiro país da América Latina e Caribe a disponibilizar o autoteste em farmácias.

Identificar a presença do HIV em 90% das pessoas infectadas é uma das metas da Organização das Nações Unidas (ONU) para 2020. Então, o produto é mais uma ferramenta importante para diagnóstico do vírus. No entanto, este diagnóstico não é oficial. A pessoa deve passar por outros exames e acompanhamento médico para obter a confirmação. Assim, caso o autoteste dê positivo, é fundamental procurar uma unidade de saúde o mais rápido possível.

Segundo a diretora do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, o produto não será comprado pelo ministério para ser disponibilizado pelo SUS devido ao seu preço. “Sob o ponto de vista financeiro, ele está muito caro para adotarmos. Hoje, o Ministério da Saúde adquire o teste rápido por R$ 2,00. Nesse momento, achamos que o mais vantajoso é continuar comprando o teste rápido que já compramos e distribuímos”, afirmou.

O autoteste também é importante para as pessoas que não querem ir a uma unidade de saúde para fazer o teste de HIV. Lembrando que quando diagnosticadas e tratadas precocemente, a expectativa de vida das pessoas com o vírus é semelhante à da população em geral, ou seja, os testes são, sim, muito importantes.

Reta final para saque das contas inativas do FGTS!

Está cada vez mais próximo o dia em que se encerrará o prazo para que os trabalhadores brasileiros façam o saque de suas contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo o último balanço divulgado pela Caixa Econômica Federal, na segunda-feira, dia 24 de julho, já foram retirados R$ 42,8 bilhões das contas inativas. O valor corresponde a 98,33% do total inicialmente liberado para saque (R$ 43,6 bilhões). No entanto, 4,9 milhões de brasileiros ainda não sacaram o benefício, ou seja, falta o resgate de R$ 800 milhões. A Caixa afirma que 25,3 milhões de pessoas sacaram o FGTS inativo, sendo que o total de trabalhadores beneficiados pela medida é de 30,2 milhões. O prazo para retirada do dinheiro teve início no dia 10 de março, com o cronograma seguindo a data de nascimento do trabalhador.

Você tem direito ao benefício?

De acordo com a Caixa, todo trabalhador (com contrato de trabalho registrado na Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS, trabalhadores rurais, temporários, avulsos, safreiros, atletas profissionais e os empregados domésticos) que pediu demissão ou teve seu contrato de trabalho finalizado por justa causa até o dia 31 de dezembro de 2015 tem direito ao saque de todas as contas inativas de FGTS, inclusive quem está atualmente empregado. Outra boa notícia para o trabalhador é que não há limite de valor para o saque.

Já os trabalhadores que não possuem saldo em sua conta e os que tiveram os contratos de trabalho finalizados a partir do dia 1º de janeiro de 2016 não têm direito ao FGTS inativo.

Famílias de trabalhadores que morreram podem sacar o dinheiro da conta inativa do fundo de garantia, caso os trabalhadores tenham falecido antes da edição da Medida Provisória (MP) 763, de 22 de dezembro de 2016. Para retirar o montante o familiar precisa apresentar a sua identidade e a carteira de trabalho do titular da conta, além de solicitar o resgate junto à Caixa.

Por que agora é possível retirar o dinheiro?

A MP 763 mudou a Lei 8.036/90 sobre o FGTS. Antes, o saque de contas inativas era permitido somente em caso de contratos de trabalho firmados após o dia 1º de junho de 1990. Além disso, o montante só podia ser sacado quando o trabalhador se aposentava, para pagar a entrada ou o financiamento da casa própria e após ficar três anos sem trabalhar com registro em carteira.

Sacar ou não o dinheiro?

Você também pode não querer retirar o dinheiro, mas especialistas orientam as pessoas a efetuarem o saque de contas inativas, pois a rentabilidade do FGTS é inferior a outras aplicações consideradas conservadoras. Assim, torna-se mais vantajosa a retirada do benefício. Atualmente, o FGTS rende 3% ao ano mais a taxa referencial (TR), enquanto o rendimento da poupança é de 6,17% ao ano mais a TR.

Como consultar o saldo?

Para consultar o saldo do FGTS acesse o site da Caixa ou do próprio FGTS. Outra opção é verificar a informação no aplicativo do fundo de garantia disponível para smartphones e tablets (Android, iOS e Windows Phone). Mais formas de obter o dado são pelo autoatendimento e nas agências da Caixa, mesmo que o trabalhador não seja cliente do banco. Contudo, nesses casos, é preciso apresentar o Cartão Cidadão.

Quero fazer o saque. Como devo proceder?

Para autorizar o crédito em sua conta, caso você possua conta na Caixa, há três opções: internet banking, internet (www.contasinativas.caixa.gov.br) e telefone (0800 726 2017). Quem não tem conta na Caixa, para receber o dinheiro, deve ir até uma lotérica, correspondentes da Caixa, agência da Caixa – inclusive terminal de autoatendimento do banco, com sua senha e Cartão do Cidadão e seu documento de identificação.

Julho marca a luta contra o câncer e hepatites virais

Julho Verde

julho verdeNós estamos no Julho Verde. Assim como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, a campanha é voltada para a conscientização sobre o câncer, mas, nesse caso, na região da cabeça e do pescoço. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), referente ao período 2016/2017, são esperados cerca de 30 mil novos casos da doença no Brasil somente de cavidade oral, laringe e tireoide. Por isso a campanha é tão importante; para que as pessoas entendam que a prevenção é fundamental.

O nosso corpo dá sinais, e perceber os sinais de alerta da doença, procurando ajuda médica rapidamente é essencial. Todos nós estamos cansados de saber que as chances de cura de uma neoplasia são bem maiores quando o tumor é descoberto logo no início.

Entre os tipos mais comuns da enfermidade estão o câncer de boca, faringe, laringe e tireoide. Tirando este último, os outros casos da doença compartilham dos mesmos fatores de risco: cigarro e álcool. Quando a pessoa tem esses dois hábitos, a chance de ter câncer aumenta em até 20 vezes.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), na última década, a incidência do câncer de boca e orofaringe em pacientes mais jovens e não tabagistas tem aumentado bastante devido à contaminação pelo papilomavírus (HPV).

Uma ferida que não cicatriza, nódulos no pescoço, alterações na voz e/ou uma dor de garganta que persiste por mais de três semanas podem ser sinais de câncer. Procure atendimento médico.

Julho Amarelo

laço amareloNeste mês também existe o Julho Amarelo, que foi adotado pelo Ministério da Saúde e pelo Comitê Estadual de Hepatites Virais. A campanha visa prevenção das hepatites virais. A cor foi escolhida por ‘coincidir’ com o tom em que geralmente os olhos dos pacientes ficam quando a doença se manifesta, no fígado.

No total, existem seis tipos de hepatites: A, B, C, D, E e G, sendo que cada uma delas é provocada por um certo tipo de vírus e possuem formas diferentes de prevenção e tratamento.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que haja aproximadamente 20 milhões de pessoas infectadas pelo vírus do tipo E e 56 mil mortes por ano. Alguns tipos de hepatite não apresentam sintomas, mas existem alguns pontos que podem ser observados: Discreta febre; Náuseas; Icterícia; Perda de apetite; Vômito; Erupção cutânea; Possíveis dores abdominais e nas articulações; Urina escura; Leve aumento do fígado.

Para se prevenir contra o vírus, procure um médico e peça exames para um diagnóstico preciso.

“Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos”

Dia Internacional de Nelson Mandela é celebrado em 18 de julho (terça-feira)

Há datas que não devem ser esquecidas, ainda mais nos difíceis tempos atuais. Com tanta violência, intolerância, egoísmo, maldade e falta de amor nesse mundo, é complicado acreditar que ainda haja gente bondosa, que pensa no próximo e que realmente faz o que pode para melhorar a vida das pessoas, e não apenas de um grupo seleto, não, mas até de toda a humanidade. Porém, pessoas assim ainda existem, felizmente. Outras, já cumpriram sua bela missão na Terra, mas continuam servindo de exemplo para toda uma nação.

A história tem o privilégio de ter registrado a passagem de alguns desses líderes humanitários, como, por exemplo, Gandhi, líder pacifista indiano. Outros ainda estão vivos. E teve Nelson Mandela, que já dizia: “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”.

Em prol da liberdade, justiça e democracia, o Dia Internacional de Nelson Mandela será celebrado na próxima terça-feira, dia 18 de julho. A comemoração internacional foi instituída pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (AGNU), em novembro de 2009, e ‘coincide’ com o nascimento do líder Nelson Rolihlahla Mandela, mais conhecido na África do Sul como Madiba ou Tata (‘pai’) – ele faleceu aos 95 anos, em 5 de dezembro de 2013, devido a uma infecção pulmonar.

A data internacional também foi uma forma da ONU homenagear a dedicação do líder – e também advogado formado – a serviço da humanidade, pela resolução de conflitos, relação entre as raças, promoção e proteção dos direitos humanos, reconciliação, igualdade de gênero e direitos das crianças e outros grupos vulneráveis, e, ainda, pelo desenvolvimento das comunidades pobres.

Na verdade, mesmo que Nelson Mandela tenha nascido e vivido na África do Sul, tendo sido, inclusive, presidente do país, de 1994 a 1999, seus pensamentos, ensinamentos e ideais foram estendidos ao mundo todo, uma verdadeira promoção da cultura de paz através do mundo.

Madiba ganhou o Prêmio Nobel da Paz de 1993 e mais de 250 outros prêmios e condecorações. Ele nasceu numa família de nobreza tribal, em uma pequena aldeia do interior, onde provavelmente iria ocupar um cargo de chefia, porém Mandela recusou esse destino e seguiu para a capital Joanesburgo, aos 23 anos, a fim de dar início a sua atuação política, o que lhe rendeu 27 anos na prisão, mas também o reconhecimento por ter lutado e conseguido refundar seu país. A liberdade veio depois de uma grande pressão internacional e por ordem do então presidente Frederik Willem de Klerk.

Nelson Mandela é considerado o mais importante líder da África Negra, o ícone da luta pela igualdade racial – por ter liderado a transição que encerrou a política do apartheid em seu país (regime de segregação racial adotado na África do Sul, entre as décadas de 40 e 90).

Existem diversos livros, músicas, filmes e até organizações dedicados ou inspirados no saudoso líder Mandela. Suas belas, sábias e tranquilas palavras também se tornaram muito famosas e povoam muitas mentes e corações: “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar”.

“Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos”. Pensemos nisto!

Caixa antecipa para sábado (8) pagamento do FGTS para nascidos em dezembro

Caixa antecipou para este sábado (8) pagamento do FGTS para trabalhadores nascidos em dezembro

Boa notícia para os nascidos no mês de dezembro: previsto inicialmente para sexta-feira, dia 14 de julho, a Caixa Econômica Federal antecipou paras este sábado, dia 8, o pagamento das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para trabalhadores nascidos em dezembro. Mais de 2,5 milhões de brasileiros têm direito ao saque a partir de julho. O valor total disponível para saque neste mês ultrapassa R$ 3,5 bilhões e equivale a aproximadamente 8% do total disponível.

Neste sábado, dia 8 de julho, as agências da Caixa Econômica Federal estarão abertas em Extrema, Camanducaia, Cambuí, entre outras cidades do Sul de Minas, das 09h00 às 15h00, para atendimento exclusivo de dúvidas e pagamentos das contas inativas do FGTS.

Até o dia 28 de junho, a Caixa registrou o pagamento de mais de R$ 38,2 bilhões relativos às contas inativas do FGTS. O número de trabalhadores nascidos até novembro e que já sacaram alcançou 22,6 milhões de pessoas.

O prazo para saque segue um cronograma (de acordo com o mês de nascimento dos trabalhadores) que teve início no dia 10 de março e termina em 31 de julho, uma segunda-feira.

A MP 763 mudou a Lei 8.036/90 sobre o FGTS. Antes, o saque de contas inativas era permitido somente em caso de contratos de trabalho firmados após o dia 1º de junho de 1990. Além disso, o montante só podia ser sacado quando o trabalhador se aposentava, para pagar a entrada ou o financiamento da casa própria e após ficar três anos sem trabalhar com registro em carteira.

De acordo com a Caixa, todo trabalhador (com contrato de trabalho registrado em carteira de trabalho, trabalhadores rurais, temporários, avulsos, safreiros, atletas profissionais e os empregados domésticos) que pediu demissão ou teve seu contrato de trabalho finalizado por justa causa até o dia 31 de dezembro de 2015 tem direito ao saque de todas as contas inativas de FGTS, inclusive quem está atualmente empregado. Outra boa notícia para o trabalhador é que não haverá limite de valor para o saque.

Já os trabalhadores que não possuem saldo em sua conta e os que tiveram os contratos de trabalho finalizados a partir do dia 1º de janeiro de 2016 não têm direito ao FGTS inativo.

Famílias de trabalhadores que morreram podem sacar o dinheiro da conta inativa do fundo de garantia, caso os trabalhadores tenham falecido antes da edição da Medida Provisória (MP) 763, de 22 de dezembro de 2016. Para retirar o montante o familiar precisa apresentar a sua identidade e a carteira de trabalho do titular da conta, além de solicitar o resgate junto à Caixa.

Especialistas orientam as pessoas a efetuarem o saque de contas inativas, pois a rentabilidade do FGTS é inferior a outras aplicações consideradas conservadoras. Assim, torna-se mais vantajosa a retirada do benefício. Atualmente, o FGTS rende 3% ao ano mais a taxa referencial (TR), enquanto o rendimento da poupança é de 6,17% ao ano mais a TR.

Para consultar o saldo do FGTS acesse o site da Caixa ou do próprio FGTS. Outra opção é verificar a informação no aplicativo do fundo de garantia disponível para smartphones e tablets (Android, iOS e Windows Phone). Mais formas de obter o dado são pelo autoatendimento e nas agências da Caixa, mesmo que o trabalhador não seja cliente do banco. Contudo, nesses casos, é preciso apresentar o Cartão Cidadão.

SUS passa a oferecer vacinas contra HPV para meninos de 11 até 15 anos incompletos

O Sistema Único de Saúde (SUS) passou a disponibilizar vacinas contra o papilomavírus humano (HPV) para meninos de 11 até 15 anos incompletos (14 anos, 11 meses e 29 dias). O Ministério da Saúde começou a disponibilizar as doses para adolescentes do sexo masculino em janeiro deste ano, contemplando a faixa etária de 12 a 13 anos. Até 2016, a vacina era aplicada apenas em meninas.

Agora, com a inclusão desse público, equivalente a 3,3 milhões de adolescentes, a meta deste ano é vacinar 80% dos 7,1 milhões de meninos de 11 a 15 anos e 4,3 milhões de meninas de nove a 15 anos.

A medida também contempla homens e mulheres transplantados e pessoas com câncer que façam quimioterapia e radioterapia. Além disso, aproximadamente 200 mil crianças e jovens, de ambos os sexos, de nove a 26 anos vivendo com HIV/Aids – Vírus da Imunodeficiência Humana/Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – também podem se vacinar contra HPV. Outra novidade já anunciada foi a inclusão da vacina para meninas que chegaram aos 14 anos sem tomar a vacina ou que não completaram as duas doses indicadas.

Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o objetivo principal da ampliação é aumentar a cobertura vacinal do HPV, e uma das principais ações para alcançar essa meta é o Programa Saúde na Escola, parceria entre os ministérios da Saúde e da Educação. A fim de conscientizar os meninos sobre a importância da vacinação, o Ministério da Saúde planeja, para este mês de julho, período de férias escolares, uma campanha direcionada a este público, visando aumentar a cobertura nessa população. A vacina de HPV também fará parte das imunizações ofertadas na Campanha de Multivacinação que acontecerá entre 11 e 22 de setembro, com Dia D marcado para 16 de setembro.

Desde o início da vacinação contra HPV em meninas, em 2014, até dia 2 de junho deste ano, foram aplicadas 17,5 milhões de doses na população feminina de todo o Brasil.  Já em relação aos meninos, de janeiro a 2 de junho de 2017, 594,8 mil adolescentes se protegeram.

O HPV é altamente contagioso e a sua transmissão ocorre principalmente pelo contato sexual. A vacina contém duas doses, que devem ser tomadas com intervalo de seis meses entre elas. Para os portadores de HIV, o esquema vacinal é de três doses – intervalo de zero, dois e seis meses. A definição da faixa etária para a vacinação visa proteger meninos e meninas antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus, ajudando na diminuição do câncer de colo do útero e vulva nas mulheres, pois diminui a circulação do vírus. Nos homens, a vacina protege contra o câncer de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais.

O Brasil é o primeiro país da América do Sul e o sétimo do mundo a oferecer a vacina contra o HPV para meninos em programas nacionais de imunizações. Para informações sobre a vacina na sua cidade, procure a Secretaria Municipal de Saúde ou o postinho mais próximo de sua casa.

Junho Vermelho

Junho foi escolhido para a realização da campanha por se tratar do mês de maior baixa nos estoques dos hemocentros do país

Junho é o mês da doação de sangue, ou melhor, o período em que a doação de sangue é mais incentivada e disseminada, quando a sociedade realmente reflete sobre a importância desse gesto tão fácil, gratuito, indolor, rápido e seguro e, o mais importante, solidário. Doar sangue significa se importar com o próximo. É um ato de solidariedade. Cada doação pode salvar a vida de até quatro pessoas. Mas, infelizmente, essa atitude tão bonita ainda é cercada por muitos mitos, que fazem com que as pessoas tenham receio de ajudar.

No dia 1º de junho, teve início a campanha Junho Vermelho, organizada pelo Movimento Eu Dou Sangue. O objetivo é incentivar os brasileiros a doar sangue e tornar essa prática um hábito na vida das pessoas. A ação, antes, era realizada somente em São Paulo, mas ela cresceu e apareceu, se transformando em um movimento que está circulando por todo país pelo terceiro ano consecutivo. No site da causa é possível consultar onde doar: www.eudousangue.com.br/onde-doar. Todos os estados têm seus postos de coletas e são vários.

O Junho Vermelho tornou-se lei em cinco estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Alagoas e Paraíba) e 11 cidades, como Palmas (TO), Foz do Iguaçu (PR), Barueri (SP), Patos (PB) e Lages (SC). “Estamos honradas em ver que a nossa iniciativa está impactando a vida de tantas pessoas. Quando criamos o movimento e, depois, a campanha, tínhamos convicção sobre a relevância dessa causa, até pela experiência própria de necessitar de doações na família”.

Para as idealizadoras da campanha, Debi Aronis e Diana Berezin, a doação de sangue é muito mais do que um ato capaz de salvar vidas, sendo, também, uma atitude que sintetiza a cultura de paz: “Sangue não tem cor, nem gênero, nem religião, nem partido político, nem time de futebol. Sangue é o que nos iguala e nivela”.

A escolha do mês de junho para realizar a campanha se baseia na data fixada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para homenagear o doador de sangue e também para conscientizar as pessoas sobre a importância dessa atitude que pode salvar vidas: o Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado em 14 de junho. Além isso, este mês foi escolhido pelo Movimento Eu Dou Sangue para a realização da sua campanha anual por ser o de maior baixa nos estoques dos hemocentros brasileiros, que costumam enfrentar queda média de 30% durante o inverno. No período de férias, o número de acidentes nas estradas aumenta, pressionando ainda mais os estoques dos hemocentros.

Os brasileiros não têm a cultura de doar sangue. Apenas 1,8% da população doa sangue. A OMS recomenda que 3% a 5% dos habitantes de um país sejam doadores.

Para doar sangue, você precisa ter entre 16 e 69 anos; pesar a partir de 50 quilos; precisa estar descansado e não ter praticado atividades físicas intensas, além de estar bem nutrido, com refeições prévias leves e sem gordura e em boas condições de saúde; não ter ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 24 horas; evitar fumar duas horas antes da doação; não estar utilizando medicamentos; não ter feito tatuagem ou piercing nos últimos 12 meses; a mulher não pode estar grávida ou amamentando. Mulheres podem doar sangue a cada três meses e homens podem fazer a doação respeitando dois meses de intervalo.

Mais de 189.630 trabalhadores de MG ainda não sacaram o Pis/Pasep, e o prazo termina dia 30

Mais de 189.630 trabalhadores de Minas Gerais ainda não procuraram uma agência bancária (da Caixa ou do Banco do Brasil) para sacar o Abono Salarial do Programa de Integração Social (PIS)/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) ano-base 2015. E o prazo final para o saque está se aproximando, é no final do mês: 30 de junho, uma sexta-feira. Segundo dados do Ministério do Trabalho, Minas é o segundo estado com maior número de pessoas que não retirou o benefício.

“O Abono Salarial é um direito que o trabalhador tem. Esse dinheiro é do trabalhador, portanto não perca o prazo”, frisou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

O Abono Salarial do PIS/Pasep ano-base 2014 foi sacado por aproximadamente 22,61 milhões de pessoas, o equivalente a 95,93% do total de trabalhadores que tinham direito ao dinheiro no país. Esta foi a segunda maior taxa de cobertura da história dos pagamentos do abono, sendo que o recorde ocorreu em 2009, quando o percentual alcançou 96,3%.

Após o prazo, os benefícios que não são retirados voltam ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e não ficam mais disponíveis para saque nas agências bancárias. O dinheiro então é usado para o pagamento de benefícios como o Seguro-Desemprego e o Abono Salarial do próximo ano.

Valor do abono

Conforme o novo regimento, o valor do PIS é associado ao número de meses trabalhados no exercício anterior. Assim, quem trabalhou um mês no ano-base 2015 receberá 1/12 do salário mínimo. Já quem trabalhou dois meses receberá 2/12, e assim por diante. Só receberá o valor total aquele que trabalhou o ano-base 2015 completo. Isto é, se a pessoa trabalhou durante os 12 meses, receberá o valor total do benefício, ou seja, um salário mínimo (R$ 937,00).

Quem tem direito ao benefício

Todo trabalhador que estiver cadastrado no programa há pelo menos cinco anos, que tenha recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos durante o ano-base e trabalhado de forma remunerada por pelo menos 30 dias tem direito de receber o abono. Além disso, a pessoa precisa estar com os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais.

Em caso de dúvida, o Ministério do Trabalho disponibiliza uma ferramenta de consulta para os trabalhadores saberem se têm ou não direito ao Abono Salarial ano-base 2015. Basta acessar: http://verificasd.mtb.gov.br/abono/, digitar o número do CPF ou do PIS/Pasep e a data de nascimento.

A Central de Atendimento Alô Trabalho do Ministério do Trabalho, que atende pelo número 158, também possui informações sobre o benefício.

Como sacar?

Os trabalhadores podem efetuar o saque nas agências da Caixa Econômica Federal (PIS) ou no Banco do Brasil (Pasep). No entanto, antes de sacar os recursos, é aconselhável verificar se o benefício foi depositado na conta.

As dúvidas podem ser esclarecidas no próprio banco, mediante Cartão do Cidadão ou documento de identidade.

PIS/Pasep

Tanto o PIS quanto o Pasep são contribuições sociais de natureza tributária, devidas pelas pessoas jurídicas, a fim de financiar o pagamento do Seguro-Desemprego e Abono Salarial, sendo que o PIS é destinado a funcionários de empresas privadas e o Pasep pertence aos servidores públicos.

O Abono Salarial 2016, ano-base 2015, começou a ser pago no dia 28 de julho do ano passado. Estão sendo destinados cerca de R$ 14,8 bilhões para o pagamento.

Gazeta da Cidade © 2014 | Todos os direitos reservados