Elizabeth Carvalho

Médica homeopata, 21 anos de trabalho no Programa Saúde da Família (PSF), faz grupos, palestras e cursos na área de prevenção e promoção da saúde. Adoro atender e exercer a minha arte de curar, mas adoro também ensinar e dar autonomia as pessoas para cuidarem da sua própria saúde. Falar um pouco sobre minha experiência/vivência e dar dicas de cuidados com a saúde, é o que pretendo nesta coluna.

Cuidados com o verão

O verão chegou, e com ele precisamos ter alguns cuidados. Verão pede coisas leves e frescas. Muita salada e muita fruta, muita água e sucos, de preferência sucos verdes e a água de coco também é muito bem-vinda

Uma grande aliada no verão é a calêndula, uma flor muito bonita e que tem propriedades curativas maravilhosas. Para quem abusar do sol pode usar um creme de calêndula, e não ficará com aquela ardência comum as queimaduras solares. A calêndula tem um ação anti-inflamatória e regeneradora da pele e mucosas, pode ser usada na forma de pomada, creme, loção, gel, batom para os lábios. Para queimadura de qualquer tipo, não conheço nada melhor. Muito boa também para ferimentos abertos, raladuras, ajudando a pele a se restaurar  rapidamente.

Uma compressa do chá de calêndula no rosto deixa a pele maravilhosa. Você tem que usar 3 colheres de sopa da flor seca e despejar  uma xícara de água fervente (infuso), abafar com um pires e deixar esfriar, depois é só coar e molhar algumas gases neste “chá” concentrado e fazer compressas no rosto. O ideal é antes das compressas fazer uma leve esfoliação na pele. Você pode também misturar este infuso em argila branca (própria para o rosto) e aplicar a argila no rosto, tendo cuidado com os olhos. Você verá como sua pele vai ficar macia e com uma aparência maravilhosa. Para quem tem problemas de espinhas e cravos, pode fazer este procedimento diariamente, e ainda usar um creme ou gel de calêndula uma ou duas vezes ao dia. Lembrando-se de sempre lavar bem o rosto antes de aplicar as compressas, e você pode usar o sabonete de calêndula para a higienização.

A calêndula pode ser usada também para fazer bochechos, gargarejos, e até mesmo para tomar (uso interno) em caso de queimação no estômago, nestes casos você deve usar uma concentração menor, ou seja, 1 colher de chá da flor seca para 1 xícara de água fervente. Atenção, a calêndula nunca deve ser cozida, a água fervente deve ser despejada em cima da planta seca (isto é o que se chama infusão).

É muito importante também usar a planta certa, pois de nada adiantará seguir estas orientações se usar a planta errada. Para isto procure comprar em locais confiáveis, de preferência uma farmácia de homeopatia ou manipulação onde tenha um farmacêutico que conheça bem as plantas medicinais.

Cuide-se neste verão.

Ano Novo, esperanças renovadas

Fim de um ciclo,  início de outro… E aqui para nós do hemisfério sul, este novo ciclo começa em pleno verão, com a força da luz, do calor, que traz alegria e expansão.

Uma boa época para fazermos uma retrospectiva de nossa vida, do ano que se despede, uma boa época para nos desfazermos do que não queremos mais assim abrir lugar para o novo. Abra os armários, as gavetas e veja o que você não quer mais, recicle, doe, troque, desocupe espaço, abra espaço para o novo. Gosto de fazer uma “simpatia”, um ritual nesta época: escrever num papel tudo o que eu não quero mais na minha vida, tipo, não quero mais doença, dor, tristeza, irritação, mau humor, desentendimento, etc…. E ao pôr do sol do último dia do ano, queimar este papel, mentalizando que tudo que coloquei ali esta indo embora com o vento, com o sol que se põe, com o ano que se acaba. Depois pego outra folha de papel e começo a escrever tudo o que quero no novo ano que vai nascer: amor, alegria, prosperidade, saúde, um carro novo,  etc… E este papel deixar num lugar em que eu possa pegar com frequência para ler os meus desejos e reafirmá-los sempre que possível.

Nossos desejos têm força de realização. A gente ainda não tem muita noção da força da nossa energia mental. Mas somos seres capazes de transformar a nossa vida e o mundo. Pensamentos geram emoções, emoções geram imagens, imagens se materializam. Quando pensamos, sentimos, vivenciamos em nossa mente o nosso desejo, nós o realizamos.

Se sua vida está de uma forma que você não esta gostando, mude a forma de pensar, mude a forma de sentir e você mudará sua vida. Não acredita nisto?

É mais fácil acreditar que sua vida esta nas mãos de um “destino” fora de você e que você não pode interferir. Sim, é mais fácil. E era assim que a vida era entendida pelo paradigma (modelo) mecanicista, mas o modelo está mudando, não dá mais para explicar a vida como uma máquina, e a física quântica que vem ampliado a visão de mundo e mudando o paradigma nos mostra que somos responsáveis por tudo o que nos acontece, que somos nós que criamos a nossa vida. Se você quer acreditar num destino que o leva, alheio a sua vontade, acredite e assim será, não poderá realmente mudar nada. Mas se começar a ler um pouco mais sobre as novas descobertas do nosso tempo e começar a se inteirar do novo modelo de mundo e universo, você verá que pode sim ter a rédea do seu destino.

Comece por fazer esta “simpatia” de ano novo, se você acreditar,  assim será.

Eu desejo do fundo do meu coração que a gente, com nossa mente coletiva, venha a construir um mundo mais feliz, com muito mais amor; que possamos nos ver como irmãos. Feliz Ano Novo! Feliz 2017!

 

É Natal

Natal, época de confraternização com amigos e família, e isto é muito bom para o corpo e a alma. Mas cuidados com os abusos de bebidas e comidas que costumam acontecer. Estamos num país tropical que não pede as comidas gordurosas e pesadas como nos países da Europa que nesta época é inverno.

Portanto cuidado ao escolher o cardápio das festas, dê preferências as carnes brancas, o tradicional peru de natal é muito bem-vindo, acompanhado de saladas, tanto de legumes e verduras como de frutas.  Tem uma salada que acompanha muito bem o peru, leve e saborosa:

200 g de frutas cristalizadas, 200 g de uva passa sem caroço, 2 mangas maduras, mas firmes, picadas em cubinhos, 2 maças verdes picadas em cubinhos, maionese o suficiente, misture tudo e você tem um ótimo acompanhamento para o peru, o contraste do doce com o salgado dará um sabor especial a sua ceia.

Cuidado também para não exceder nas bebidas alcoólicas. O vinho e as espumantes são bebidas comuns para as comemorações desta época, mas não devem ser misturadas com outros tipos de bebidas. E caso você ultrapasse os limites, beba bastante água e tome um chá de boldo. Pode ser o nosso boldo brasileiro mesmo, o Plectrantus barbatus. Você pode fazer um infuso (despejar água fervente sobre a folha) ou um macerado (amassar uma folha verde e acrescentar água) na proporção 1 folha para 1 xícara de água. O boldo é muito digestivo, e vai tirar todo aquele mal-estar que o excesso de bebida alcoólica provoca.

E se você abusar da bebida e da comida na ceia de natal, no dia seguinte beba muita água e muito suco de abacaxi com hortelã, pode usar também chás: chá verde, de hortelã, de orégano, ou ainda beba muita água de coco.

E faça uma alimentação leve com muitas folhas verdes , cenoura, aipo, rabanete. Assim você estará ajudando o seu fígado a se recuperar dos excessos.

O melhor é não exceder e fazer uma boa escolha do cardápio para a ceia de natal, comemorar com alegria e muito amor, fazendo renascer o ser crístico dentro de cada um de nós.

Aproveite o momento para perdoar e agradecer. O perdão e o agradecimento são energias altamente curativas e regeneradoras. Depois de perdoar e agradecer ficamos com o coração mais livres para receber o AMOR, a maior energia curativa que existe no mundo.

Bom Natal, muito paz, saúde e AMOR!

Febre: bom ou ruim?

Em geral se acha que a febre é uma coisa ruim e precisa ser eliminada rapidamente. Porém a febre é uma defesa do organismo, nenhum vírus ou bactéria sobrevive muito tempo numa temperatura maior que 37,5 graus, e é por isto mesmo que nosso organismo sabiamente lança mão desta defesa.

Vamos esclarecer sobre temperatura corporal: Nossa temperatura normal varia de 36 graus até 37,0, podendo estar um pouco mais elevada quando fazemos uma atividade física ou nos alimentamos. Quando a temperatura corporal está entre 37,5 até 37,8 falamos que está em estado febril, e a partir daí, chamamos de febre. Podemos ainda classificar a febre em baixa, moderada e alta, a febre baixa é de 37,8 até 38,5, de 38,5 até 39,5 é uma febre moderada e acima de 39,5 é febre alta.

É comum as pessoas acharem que 38,00 é uma febre muito alta, e se apavorarem com medo de convulsão, mas eu vi as convulsões acontecerem, mais por abaixar rapidamente a febre por meio de medicações injetáveis, do que propriamente pela febre em si. Eu particularmente gosto de abaixar a febre com compressas pelo corpo, principalmente: testa, pescoço, axilas, barriga e virilhas.

Em homeopatia o que fazemos ao medicar é estimular o próprio organismo a reagir.

Se a febre é uma reação de defesa do organismo não devemos tirá-la. Mas podemos e devemos deixá-la num nível que também não prejudique o organismo. Uma temperatura entre 37,5 e 38, 5 graus o organismo suporta bem e a defesa se faz. Aumentando mais do que 38,5 podemos recorrer as compressas frias e banhos, estes em geral são capazes de reduzir até 1 grau a temperatura. Se a febre esta alta, ou seja 39,5 ou 40 graus, as compressas abaixarão a temperatura a 38,5/ 39 tornando suportável ao organismo, e podemos lançar mão de medicamentos homeopáticos ou fitoterápicos, que ajudaram a abaixar a febre lentamente e ajudarão a combater a infecção

Belladona e Aconitum são medicamentos homeopáticos clássicos para febre, costumo indicar na C6, pedindo para os pais terem em casa, para o caso dos pequenos terem febre, pois farmácias homeopáticas não são tão comuns quanto as alopáticas.

O medicamento homeopático não cessa a febre rapidamente como faz um antitérmico, ele a reduz e a mantém em níveis aceitáveis para o organismo, e vai cedendo a febre devagar junto com o que a causou, ou seja, com a infecção/inflamação.

Às vezes lanço mão dos antitérmicos, principalmente quando é de noite. Por que às vezes a febre impede o descanso e o descanso também é necessário para o combate à doença. Mas é preciso saber que quanto menos interferir na febre com antitérmicos, mais rápido o organismo acaba com a infecção/ inflamação.

Portanto temos que ter em mente que a febre é uma coisa boa e não ruim.

Da próxima vez, tente lidar com a febre de uma outra maneira e veja você mesmo (a) o resultado.

Diabetes

Dia 14 de novembro é o Dia Mundial do Diabetes. Ele foi instituído em 1991 pela International Diabetes Federation (IDF) (Federação Internacional de Diabetes) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma resposta ao crescente número de casos em todo o mundo.

O diabetes é considerado uma pandemia desde 1940, isto é, uma epidemia amplamente disseminada que afeta o mundo inteiro. Estima-se que mais de 246 milhões de pessoas têm diabetes e, que nos próximos 20 anos, este número deva chegar a 380 milhões.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 10 milhões de pessoas são portadoras da doença e 500 novos casos surgem a cada dia.

Embora exista uma predisposição genética para desenvolver o diabetes, as verdadeiras causas estão no estilo de vida estressante e na alimentação totalmente equivocada dos dias atuais, rica em carboidratos refinados (principalmente o açúcar e a farinha branca), pobre em fibras e com grandes quantidades de gorduras saturadas e trans.

Do ponto de vista epidemiológico, o diabetes está associado ao estilo de vida ocidental e não é comum nas culturas em que se preserva a alimentação tradicional e nativa. Porém, quando estas culturas trocam sua alimentação tradicional pelos alimentos industrializados, as taxas de glicose aumentam consideravelmente e desenvolvem diabetes em um alto percentual.

Diabetes, portanto, é uma doença decorrente do nosso estilo de vida atual, assim como a hipertensão, colesterol e triglicerídeos altos, obesidade, gastrite e úlcera gástrica, doenças cardiovasculares, cálculos biliares, e muitas outras, inclusive o câncer.

O que fazer então para manter os níveis de glicose dentro do normal (70 a 100mg/dl) e ficar livre do diabetes e outras doenças? E a resposta vocês já devem saber:  mudar o estilo de vida e a alimentação! Não é fácil, eu sei, pois o mundo de hoje nos induz a correr o tempo todo. Nunca dá tempo de cuidar de nossa alimentação, porém pagamos um preço muito alto por isto: pagamos com a nossa saúde.

Então, acho que está na hora de rever isto e começar a mudança.  Que tal começar a caminhar até a feira,  o mercado e comprar muitas verduras, legumes e frutas, arroz e outros cereais integrais? Quando comemos alimentos integrais, comemos uma quantidade muito menor, pois eles nos saciam mais, e têm muito mais nutrientes. Quando comemos alimentos refinados e industrializados, comemos muito porque eles não nos saciam; têm muitas calorias, mas quase nada de nutrientes. São as chamadas calorias vazias, que engordam e não nutrem. Com elas, nosso corpo ganha gordura extra e ficamos desnutridos.

Hábitos não são fáceis de mudar, mas se pensarmos que é para o bem de nossa saúde, fica pelo menos mais estimulante e desafiador.

Um dia fizeram essa pergunta a um homem sábio: “O que mais te surpreende na humanidade”?

E ele respondeu: “Os homens… Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde… ” Isto dá o que pensar, não?

Então, que tal se propor a mudar, pensando em um dia de cada vez?

O que dá para mudar hoje? Mude.

Antidepressivos

A depressão é uma doença em franco crescimento nos dias atuais. Existem muitos tipos de depressão e vários graus, mas o que me chama a atenção é o aumento do número de pessoas que tomam antidepressivos e acham “normal”.

Não se sentem deprimidas, nem doentes, mas tomam medicamentos de faixa preta para “funcionar”. Os médicos, muitas vezes, nem questionam mais os porquês; o paciente quer a receita porque toma há muito tempo e não consegue nem imaginar ficar sem. Aqueles médicos que questionam, por vezes são agredidos por se negarem a passar a receita. E no meio a tanto trabalho e desgaste da profissão, é mais fácil dar a receita e pronto. E assim segue: médicos prescrevendo e pacientes tomando cada vez mais remédios controlados. E por quê? Porque estão cansados, irritados, impacientes, tristes, insones, ansiosos, sem energia, sem vontade de continuar a viver do jeito que estão vivendo… Acreditam que uma pílula mágica vai resolver. Por um tempo até melhora, é fato, mas depois vai precisar de doses cada vez mais altas para ter o mesmo efeito de melhora, e outras coisas vão piorando, os efeitos colaterais vão aparecendo.

Algumas vezes ficam “estáveis”, e seguem vivendo uma meia vida, e continuam vivendo sem de fato viver. Eu acredito que as pessoas tem que buscar as causas de suas tristezas, suas irritabilidades, enfim tem que buscar a causa dos seus sintomas, afinal sintomas são sinais que o corpo dá, de que algo não está bem. Muitas vezes os sintomas de depressão podem ser por uma alimentação errada, que destrói a bio flora intestinal, hoje já está comprovado que é no intestino que se produz grande parte da serotonina (hormônio que nos faz sentir prazer e alegria), muitas vezes é o fígado sobrecarregado de toxinas que nos deixa irritado e impaciente, ou o ciclo do cortisol alterado pelo estresse excessivo que não nos deixa dormir à noite e que nos deixa cansados e sem pique durante o dia. Às vezes é a falta de trocar palavras, de trocar um abraço, de ouvir uma música que relaxe, ler um livro que divirta, pisar no chão, receber a luz do sol na pele, olhar as estrelas, colher uma flor…

Se você é uma destas pessoas que tomam antidepressivos “para funcionar”, pense se realmente precisa disso. Pense se não é de mudanças que você precisa. Procure pessoas, profissionais que possam te ajudar nestas mudanças. Mudar não é fácil, mas é gratificante quando você começa a viver a vida com alegria e satisfação, vendo beleza nas coisas mais simples.

E agora quero deixar claro aqui que depressão é uma doença que pode ser muito grave, e que precisa sim de tratamento e acompanhamento, em hipótese alguma estou dizendo o contrário, apenas neste artigo quis me ater nos sintomas leves de depressão e no excessivo uso de antidepressivos, no meu ver, sem necessidade real.

Pense nisto e bom outubro!

Obesidade e sobrepeso

A obesidade vem crescendo assustadoramente, em nível mundial, tornando-se uma pandemia. E junto com ela vem crescendo também as doenças a quais está associada: diabetes, hipertensão arterial, hiperlipidemia (aumento do colesterol e triglicerídeos), entre outras.

Quando o IMC (Índice de massa corporal) é de 25 a 29,9 é considerado sobrepeso, e obesidade o IMC  é igual ou maior que 30. A obesidade é ainda classificada em graus de 1 a 3. Temos que considerar também o percentual de gordura corporal e de massa muscular, e para isto temos um exame chamado de bioimpedância.

Nos últimos 10 anos, os índices de sobrepeso e obesidade vem crescendo muito, para se ter uma ideia, em 2006, 42,7 % da população estava com sobrepeso, em 2011, estes úmeros subiram para 48,5% e, em 2016, já ultrapassam os 52%. O dado alarmante é que temos uma aumento de mais de 1% ao ano.

Os EUA era o país mais gordo do mundo e recentemente foi ultrapassado pelo México. Como culturalmente seguimos muito os EUA, principalmente no que diz respeito a alimentação, é fácil deduzir que caminhamos para ocupar os primeiros lugares no ranking mundial da obesidade. Com toda certeza as causas da obesidade são multifatoriais e estão ligadas ao estilo de vida de nossa sociedade atual. E é preciso compreender e se conscientizar destes fatos para que possamos tomar uma atitude de mudança e transformação desta realidade. O fato é que a gente prefere não pensar nisto, mas isto não resolve o problema, pelo contrário, só conseguimos ir aumentando os números na nossa balança pessoal e os números dos índices epidemiológicos (nacional e mundial).

Bem, agora vou contar um pouco a minha história, uma vida de luta contra o sobrepeso e depois a obesidade de grau cada vez maior, emagrecer era um suplício, demorava meses e engordar era questão de poucos dias. Chegou num ponto em que eu desisti e resolvi aceitar a obesidade como parte de mim, porém sabia que minha saúde estava pagando um preço alto por isto, até que motivada pelo desejo de viver muito e bem, com qualidade de vida e saúde, me tornei determinada a mudar esta situação e a partir deste meu desejo, incrivelmente as coisas começaram a acontecer e foi me chegando um a um: livros, textos, vídeos, falando sobre formas saudáveis de emagrecer. Como médica mergulhei nos estudos e fui vislumbrando formas de tratamento que me entusiasmaram, por se tratar de algo muito profundo e científico. Bem, me submeti ao tratamento e o resultado não podia ter sido melhor. 48 quilos a menos em 2 anos, transformação total: disposição, alegria, bem-estar, volta da regulação natural do apetite e da fome, mudança até mesmo do paladar, mudança de hábitos. Uma mudança interna, lá de dentro, sabe, aquela mudança que você percebe claramente que é para a vida toda. E eu sai de uma obesidade grau 3, também chamada de obesidade mórbida, para o sobrepeso, e sigo caminhando em direção ao peso saudável.  Hoje me sinto feliz, pessoal e profissionalmente, estou trabalhando com emagrecimento, com grande sucesso, vendo a transformação acontecer nos meus pacientes também.

Aqui em Extrema atendo e faço este tratamento no Pico dos Cabritos – SPA Clube de Autocura (www.picodoscabritos.com.br), em Bragança Paulista no Espaço Jardim América (www.espacojardimamerica.com). Se você está disposta a encarar balanças e fitas métricas e mudar sua saúde, procure-nos.

 

Gazeta da Cidade © 2014 | Todos os direitos reservados