Déficit habitacional brasileiro

Em 2015, o déficit habitacional atingiu a marca de 7,7 milhões de unidades

Professor da Faex fala sobre as oportunidades de carreira para o profissional de Engenharia Civil

 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2015 o déficit habitacional atingiu a marca de 7,7 milhões de unidades habitacionais, tornando-se o terceiro pior índice da história.

Do ranking dos principais estados podemos destacar:

  • Estado de São Paulo com déficit de 1,6 milhões de unidades (21% do total);
  • Estado de Minas Gerais com déficit de 760 mil unidades (10% do total);
  • Estado da Bahia com déficit de 565.000 unidades (7,5% do total);
  • Estado do Rio de Janeiro com déficit de 525.000 unidades (7% do total).

Analisando rapidamente os dados citados é possível constatar que as oportunidades de trabalho para os engenheiros civis estão, entre outras, na construção destas unidades que a população necessita.

Independentemente das políticas habitacionais adotadas pelos governos futuros, a construção destas unidades é de suma importância não só para a economia, mas também para a manutenção dos programas sociais.

Formar profissionais qualificados para atuar nas diversas etapas dos processos construtivos de unidades habitacionais é garantir a continuada evolução do emprego e renda para milhares de trabalhadores que participam da cadeia produtiva da construção.

A Faculdade de Extrema (Faex) priorizou a abertura do curso de Engenharia Civil para formar e oferecer ao mercado engenheiros com formação generalista e prontos para trabalhar em diversos segmentos da atividade de engenharia.

Os engenheiros formados no curso de Engenharia Civil da Faex terão habilidades e competências para elaborar projetos, executar obras, fiscalizar, supervisionar, gerir e administrar qualquer obra para atender às demandas que visem a diminuição desse déficit habitacional.

Empregabilidade: esta é a palavra que define o profissional de Engenharia Civil.

Faça engenharia civil, faça na Faex!!

 

(Por Professor Afonso Henrique Vilela – Coordenador pro tempore do curso de Engenharia Civil da Faex)

 

 

Foto: Ilustrativa/Faex

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *