Estresse: O mal do século? Como vencer este grande vilão nos tempos atuais?

EstrresseEstudo recente da Associação Americana de Psicologia (APA) aponta que aproximadamente 20% dos americanos sofrem com altos níveis de estresse. No nosso país, o cenário é ainda mais preocupante: 34% dos brasileiros relatam níveis de estresse extremos e um terço dos entrevistados relatou ter apresentado elevação do estresse de um ano para cá, de acordo com o Instituto de Psicologia e Controle do Stress (IPCS).

O estresse é um estado de tensão que causa uma ruptura no equilíbrio interno do organismo, e qualquer situação, boa ou ruim, que exija adaptação do organismo, é uma fonte de estresse. O estresse não é o causador de doenças graves, mas é o seu desencadeador, pois reduz a defesa imunológica do organismo e, conforme a vulnerabilidade da pessoa, podem aparecer doenças como infecções, úlceras, hipertensão, crises de pânico, ansiedade, herpes, alergias, psoríase, vitiligo, derrame, enfarte e outras (Lipp, 2004).

Por isso é importante ter uma boa qualidade de vida, ou seja, ter momentos de lazer com a sua família e com os seus amigos, fazer uma atividade física prazerosa, escutar uma música que lhe agrade, ler um livro que te acalme, meditar e principalmente a partir do meu olhar e experiência psicoterapêutica, contemplar o belo. Mais o que é o belo? É ter tempo para valorizar as coisas simples da vida, como, por exemplo: ver o pôr do sol, olhar a rosa que desabrochou em seu jardim ou próximo de sua casa, é dar uma risada alta, é cumprimentar seu vizinho e lhe desejar um bom dia, é se desconectar das tecnologias e se conectar as pessoas. São as coisas mais simples da vida, que passam despercebidas, por estarmos sempre na correria do dia a dia, sempre muito ocupados, sempre com muitas prioridades. E no fim, quando nos percebemos exaustos, estressados, irritadiços, com dores musculares e insônia, percebemos que nos esquecemos de dar prioridade para o mais importante: Nós! Ter tempo para nós mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *