Donos de sete vidas, reza a lenda, os bichanos conquistam corações

Donos de sete vidas, reza a lenda, os bichanos conquistam corações

12 de fevereiro de 2021
1

Os gatos são sinônimos de fofura. Donos de sete vidas, reza a lenda, os bichanos conquistam corações. No Dia Mundial do Gato, comemorado em 17 de fevereiro (próxima quarta-feira), além de celebrar a presença destes felinos em nossas vidas, é importante reforçar os cuidados que eles merecem.

O Dia Mundial do Gato foi criado por uma instituição italiana, com o objetivo de ajudar a promover uma campanha de combate aos maus-tratos contra os nossos amigos peludos. A ideia, então, se espalhou por todos os cantos do mundo.

Já a lenda de que os felinos têm sete vidas – nos países de língua inglesa são nove – provavelmente é uma alusão ao fato de os gatos possuírem um sistema imunológico forte ou porque eles sempre caem em pé.

Os gatos precisam de muitos cuidados e seus donos devem saber quais são essas necessidades, já que a saúde dos animais de estimação é mantida no dia a dia e não somente com vacinações (em dia) ou quando eles ficam doentes.

Os bichanos devem se alimentar com uma ração de qualidade específica para a sua situação (castrado ou não, obeso, filhote, adulto, etc.) e também precisam de água fresca e limpa. A caixinha de areia para fazer suas “necessidades” também deve ser higienizada. O ambiente precisa ser confortável e seguro, colaborando para o bem-estar do felino. O que também auxilia são os arranhadores para afiarem as unhas, além de muitas brincadeiras. Nem preciso dizer que o carinho e a atenção são primordiais.

A aplicação de antipulgas é outro cuidado, assim como o vermífugo, que deve ser administrado durante toda a vida do gato. Existem até produtos que ajudam o animal a colocar mais facilmente para fora suas bolas de pelo, adquiridas em suas muitas lambidas, mais conhecidas como “banhos” – os gatos passam cerca de 30% de sua vida se limpando.

A castração é outro item que não pode ficar de fora. O procedimento pode ajudar a evitar as famosas fugidinhas e, consequentemente, o risco de atropelamento e contato com animais contaminados – para ser mais efetivo, coloque telas nas janelas ou redes de proteção; doenças como o câncer de mama e de útero; e a procriação desenfreada que gera o crescente abandono de gatos.

Últimos Editoriais