Último domingo de janeiro é dia de combate e prevenção da hanseníase

Último domingo de janeiro é dia de combate e prevenção da hanseníase

30 de janeiro de 2021
1

O Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, uma das mais antigas doenças de pele, antigamente conhecida como Lepra, é comemorado anualmente no último domingo do mês de janeiro. Assim, neste ano, será celebrado no dia 31. A data foi instituída pela Lei nº 12.135/2009, com o objetivo de alertar para o controle da doença e a importância do diagnóstico e tratamento corretos, além de disseminar mais informações sobre a patologia e desfazer o preconceito.

Com esse mesmo intuito, nasceu, também, a campanha Janeiro Roxo, para conscientização sobre a doença, já que um dos dados do nosso país em relação ao assunto é alarmante: a hanseníase ainda é considerada um grave problema de saúde pública no Brasil. Apesar de ter maior incidência em alguns estados, como Pará, Piauí, Maranhão, Tocantins e Mato Grosso, todos os brasileiros estão sujeitos a contrair a doença.

Quanto mais rápido os sintomas forem detectados e o tratamento iniciado, mais rapidamente o paciente irá se curar, e ainda com chances de ficar sem nenhuma sequela. Os principais sintomas da doença são: manchas brancas, vermelhas ou marrons em qualquer lugar do corpo, com perda ou alteração na sensibilidade, e caroços (nódulos) ou inchaços. Também pode causar formigamento, sensação de choque, dormência e queimaduras nas mãos e pés por falta de sensibilidade, além de falta de força e problemas nos olhos.

Doentes sem tratamento transmitem a hanseníase através do aparelho respiratório superior (secreções nasais, tosse, espirro), mas especialistas afirmam que os pacientes tratados e os já curados não podem contaminar ninguém.

Vale ressaltar que a hanseníase tem cura e o tratamento é garantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Últimos Editoriais