Notícias

Alguns possíveis desdobramentos para a pandemia atual

Em meio ao caos gerado pela pandemia que estamos vivendo, recheado de dúvidas e incertezas, nascem inúmeros questionamentos. Como será o futuro? Como serão as relações de trabalho? E, principalmente, como nos relacionaremos uns com os outros em um futuro pós-pandemia? Fato é, que muito pouco sabemos, tanto a respeito do agora como também do futuro.

23 de abril de 2020

mask-4898571_1920

Novas pesquisas aparecem a todo momento, mostrando novas descobertas e pistas para o tratamento clínico do vírus, bem como para seu manejo social. Isolamento horizontal, isolamento vertical, fechamento, abertura, várias possibilidade e discussões, e embora o isolamento horizontal seja o mais recomendado, nada é tão claro quanto gostaríamos.

Contudo, tudo indica que nada será como antes, mesmo que não sejam mudanças drásticas e que aos poucos retornemos aos nossos antigos modos de vida. No que tange às relações de trabalho, de higiene, e com o outro, a tendência é que essas mudanças se tornem mais evidentes. Passaremos a nos cumprimentar de maneira mais reservada, a adotar medidas de higiene, como a lavagem das mãos com maior frequência. As relações de trabalho online e a distância tendem a crescer como temos visto acontecer ultimamente.

Nossa subjetividade e a maneira como vemos o mundo também serão marcadas. Hoje, sentimentos como o medo e a ansiedade têm nos invadido, e por mais que eles possam desaparecer à medida que as coisas se acalmarem, marcas ficarão, afinal estamos vivendo algo inédito, até então não experimentado pela humanidade.

Porém, como tudo tem dois lados, não podemos esquecer que há uma beleza oculta e submersa sob todo esse mar de incertezas e temores que estamos vivendo. A beleza de ver a natureza se recompondo e voltando a ocupar lugares que lhe haviam sido tomados, a beleza de ver cidades mais limpas e menos barulhentas, e a beleza de ver o quanto juntos podemos mais.

É hora do exercício da solidariedade e da potencialização do coletivo. Exercício esse que se opera quando todos colaboramos com o isolamento ficado em casa; quando demonstramos nosso afeto e preocupação com o outro através de lives, videoconferências ou mesmo ao estreitarmos nossos laços com os familiares que moram conosco, bem como nas campanhas online, para arrecadar fundos e ajudar aqueles que mais precisam.

Portanto, a principal lição que poderemos tirar desse período é a importância de pensarmos mais no coletivo e no quanto ele é necessário, inclusive, para assegurar nossa individualidade. Pois, por mais paradoxal que seja, pensar nisso em tempos de quarentena e isolamento é necessário. Só há isolamento horizontal com a colaboração de todos. Só com a prevenção teremos leitos suficientes nos hospitais.

Não sabemos quanto tempo essa pandemia durará, mas sabemos que marcas ficarão e que lições serão deixadas.  Cabe a nós, a cada um de nós, aprendermos ou não com essas lições.

(Por psicólogo Rodrigo Coletty)

Para informações e agendamentos: WhatsApp (35) 99179-3162.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 2525

13/08/2020

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp