Notícias

Ansiedade em tempos de pandemia

Conjecturas acerca do futuro, nos tempos atuais, têm sido quase inevitáveis, por mais que essas conjecturas possam se configurar, em boa parte das vezes, como fantasias.

12 de maio de 2020

Depressed Girl In Mask Holding Phone Sitting In Bed Indoor

O que quero chamar a atenção neste artigo, com essa introdução, é para um sentimento muito comum e que tem aparecido com maior frequência e intensidade no momento que vivemos, a ansiedade, sendo que uma das principais características desse sentimento é justamente a criação de conjecturas acerca de um futuro que ainda não aconteceu.

Afinal, como uma conhecida frase nos diz: a depressão é um sofrimento e um viver no passado, enquanto que a ansiedade diz respeito a um sofrer pelo futuro. O interessante, no entanto, é notarmos como essa característica, tão marcante, que a ansiedade possui, tem operado nos dias de hoje.

Diferentemente de outros tempos, os tempos atuais nos suscitam sentimentos avassaladores, carregados de um real muito vivo. Ou seja, a ansiedade não se dá, somente, por um problema cotidiano, uma dificuldade no trabalho ou um conflito familiar, mas, sim, pelo futuro do país, da humanidade e de nossas condições de vida.

Bem como as conjecturas que se criam não se dão mais, apenas, em uma esfera particular de nosso cotidiano, se conseguiremos ir bem em uma prova ou em um trabalho, por exemplo, mas, sim, se sobreviveremos à pandemia. Pois, por mais que as questões particulares, de nossas rotinas de vida, que nos atravessam e preocupam, também sejam igualmente importantes, as questões atuais, disseminadas pela pandemia, nos convidam a um exercício e uma prática distinta para lidarmos com elas e os sentimentos que elas provocam.

Nesse sentido, se faz fundamental percebermos até que ponto podemos ir. Ou seja, até que ponto temos controle da situação e das possíveis conjecturas que criamos. Sendo assim, podemos, e devemos, nos higienizar, usar equipamentos de proteção, evitar sair de casa, entre outras medidas recomendadas, que indicam que estamos fazendo nossa parte.

Para além disso, do que podemos fazer para evitar os riscos da pandemia, não temos controle. Portanto, ficar sofrendo com a ansiedade em relação a um futuro que não controlamos, e como o mesmo se delineará, não é legal e se configura com uma fantasia, pois não temos como saber, de fato, como será esse futuro. Como apontado na introdução desse artigo, a criação de conjecturas hoje tem sido quase inevitável, o importante é não deixarmos que elas nos dominem.

Por fim, gostaria de lembrar que a prefeitura está oferecendo orientação psicológica online para quem não estiver se sentindo bem e sentir a necessidade de conversar com um profissional. Para agendar seu atendimento, você pode ligar na Central pelo número (35) 3435-5602 ou mandar um e-mail para: caem@extrema.mg.gov.br.

Para aqueles que se interessarem, segue meu contato profissional, para agendamentos de consultas e atendimentos online: (35) 99179-3162 – WhatsApp.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 2525

13/08/2020

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp