Notícias

Câmara vota na próxima sessão projeto de lei que homenageia ex-presidente legislativo, João Gilli Netto

13 de agosto de 2020

Foto: Ascom/Câmara Extrema

Ex-presidente-da-Casa-de-Leis-vereador-Joao-Gilli-Netto

Ex-presidente da Casa de Leis, vereador João Gilli Netto

Está agendada para 16h00 da segunda-feira, dia 17 de agosto, a 16ª Sessão Ordinária da Câmara de Extrema. Serão debatidas e votadas as proposições da Ordem do Dia que tratam das melhorias na qualidade de vida do extremense. Um dos projetos que merecem destaque é o de Nº 3.157/20, que dá denominação a logradouro público e homenageia com nome de avenida o ex-presidente da Casa de Leis, vereador João Gilli Netto. Passa-se a denominar Avenida Engenheiro João Gilli Netto o logradouro com início na Rua Minas Gerais, localizada no bairro Bela Vista, e término na Estrada Municipal Vereador Tica Bertolotti, que fica no bairro rural do Barreiro.

Engenheiro, arquiteto e urbanista renomado, João Gilli é reconhecido por sua imensa trajetória profissional principalmente por projetar diversas obras públicas e privadas de relevância que possibilitaram o crescimento e o desenvolvimento de Extrema e região, principalmente no que se refere à construção civil.

Na política assumiu o cargo de vice-prefeito e a presidência na mesa legislativa nos anos de 1971 e 1972, além de ter sido homenageado com o prêmio de Honraria ao Mérito na Sessão Solene de Entrega de Títulos em 2015.

Cidadão exemplar

Sua vida pessoal sempre esteve enraizada nos valores morais e éticos. Homem íntegro e de índole ilibada, mantinha como premissa de vida o respeito social e os preceitos cristãos como formas maiores de evolução de vida. João Gilli nasceu em 5 de dezembro de 1935 em Extrema. Era filho de Alcebíades Gilli e de Helena Baisi Gilli. Casou-se com Maria Rita de Cassia Piunti Gilli em 1970 e do exemplar matrimônio que durou 49 anos, nasceram seus três filhos, João Fernando, Flávio Luiz e Juliana Gilli, além de seis netos. Cidadão honrado, dedicado e afetuoso, era profundamente admirado por sua família, a quem ensinou os valores da honestidade, da generosidade e do trabalho. Teve muitos amigos e sempre tinha uma história para contar, principalmente sobre a cidade de Extrema nos tempos antigos. Era admirado por seus colegas de profissão e de trabalho que sempre destacaram seu entusiasmo e sua capacidade de compartilhar conhecimentos. Infelizmente veio a falecer aos 83 anos em 16 de janeiro de 2019.

Estudou na Escola Odete Valadares, em Extrema, e no Colégio São Luiz, em Bragança Paulista/SP. Ao perceber a sua aptidão para a área das ciências exatas, cursou o Colégio Técnico de Itajubá/MG, com atribuições em Topografia. Trabalhou durante um ano na Siderúrgica Cosipa, em Cubatão/SP, como estagiário. Ingressou no curso de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/BH), tendo se formado em 1967. Em 2005, especializou-se em Georreferenciamento de Imóveis Rurais, pela Faculdade de Engenharia de Agrimensura de Pirassununga/SP. Trabalhou como engenheiro nas Prefeituras de Bragança Paulista e de Extrema. Mesmo aposentado como funcionário público, continuou a exercer a sua profissão enquanto viveu. Foi reconhecido por seu vasto e invejável conhecimento nos ramos da Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo e por suas importantes realizações tanto na região Sul Mineira quanto no Estado de São Paulo. João Gilli projetou e executou diversas obras, somando um total de mais de 250.000 m² de construção, conforme certidão emitida pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA).

Dentre as suas principais obras públicas em Extrema estão a Estrada e as Torres da Embratel, a Prefeitura de Extrema (na Praça Getúlio Vargas, onde está situada a Secretaria de Cultura), o Clube Literário e Recreativo de Extrema (CLRE), o Ginásio Poliesportivo, as pontes de estrutura metálica do Juncal e Salto do Meio, a ponte alta, a antiga ponte quebrada e a contenção de encosta do Parque de Eventos (com aproveitamento para arquibancadas). Obras privadas tiveram a sua assinatura como as empresas Fundição Brasileira (hoje Fagor Ederlan), FRUM e Yanes, além dos loteamentos Nova Extrema, Jardim São Cristóvão, Nardo Lupetti, Recanto Verde e Dona Olívia. Realizou ainda a reforma e a recuperação do teto do Santuário de Santa Rita de Cássia, Igreja São Cristóvão, Hospital e Maternidade São Lucas (HMSL), a Volvo Calçados, Pronello (atual Maroré), Edificio Alfredo Olivotti, Vega Sopave/Equitran e os edifícios Eletan. Suas obras estão espalhadas em todo o extremo Sul Mineiro, Noroeste Paulista e cidades litorâneas com a construção da Estação de Tratamento de Água de Cambuí, Clube Literário de Itapeva, Hotel Cabeça de Boi (Monte Verde/Camanducaia), Massey Ferguson (Pouso Alegre), Colônia de Férias – Federação do Metalúrgico de Praia Grande/SP, Colônia de Férias – Federação do Metalúrgicos de Vargem, Massey Ferguson (Bragança Paulista), Sede do Sindicado dos Metalúrgicos de Bauru, Hangar do Aeroclube de Bragança Paulista, Edifício Francisco Morato – Butantã – São Paulo/SP, Russo Materias de Construção – Bragança Paulista/SP, Galpão Purina – Campinas/SP, Massey Ferguson – Varginha/MG, Massei Ferguson – Camanducaia/MG, Ginásio Poliesportivo – Colégio Porto Real – Bragança Paulista.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 2525

13/08/2020

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp