Notícias

Complexo Hospitalar Municipal de Extrema implanta novo dispositivo de identificação para pacientes

Medidas foram colocadas em prática nesta última semana, sendo o paciente já identificado na recepção e na triagem com alguma das cinco pulseiras com cores distintas

18 de setembro de 2021

Foto: Ascom/Pref. Extrema

Ação promove a segurança dos pacientes e do ambiente de assistência à saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu o dia 17 de setembro, sexta-feira, como o Dia Mundial da Segurança do Paciente, e parte dessa comemoração se deu com um importante avanço do Complexo Hospitalar em Extrema, onde foram implantadas pulseiras coloridas de identificação para facilitar a visualização da situação médica de cada paciente no Hospital Municipal, auxiliando também na realização de procedimentos médicos.

Cinco pulseiras coloridas foram adotadas, sendo a cor branca contendo os dados do paciente por escrito; a cor laranja apresentando se há alguma alergia medicamentosa; a cor vermelha destina-se a pacientes que apresentam urgência no atendimento; a cor verde remete aplicação de medicação; e a cor amarela identifica que o paciente está aguardando exames laboratoriais e de imagem.

Assim, o fluxo de atendimento no Pronto Socorro Municipal passa a ocorrer da seguinte forma: o paciente, como de costume, apresentará documentação em mãos aos recepcionistas para coleta de dados, logo após será colocada uma pulseira branca contendo o nome completo do paciente, data de nascimento e o nome da mãe. Em seguida, será feita uma entrevista para levantamento dos sinais vitais, tais como pressão arterial, saturação e check-list simples e, se necessário, uma pulseira laranja será colocada no paciente que apresenta alguma alergia medicamentosa. Por fim, após consulta médica, o técnico de enfermagem identifica a necessidade e coloca a pulseira correspondente em cada paciente, sendo a vermelha, a verde ou a amarela.

A ação promove a segurança dos pacientes e do ambiente de assistência à saúde, identificando os dados do enfermo e promovendo uma comunicação mais eficaz entre profissionais do hospital e paciente, evitando com que prescrições e administração de medicamentos sejam feitas erroneamente.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 1199

16/10/2021

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp