Notícias

Crea-MG fiscaliza mais de 300 obras em Extrema

10 de novembro de 2021

Foto: Ascom/Crea-MG

Ação ocorreu nesta semana

Entre segunda (8) e sexta-feira (12), em Extrema, ocorre uma blitz de fiscalização do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG). Uma equipe composta por dez fiscais percorre cerca de 300 obras e empresas, verificando atividades relacionadas à engenharia, agronomia e geociências.

A ação reforça as ações de rotina que já são realizadas pelo Crea-MG na cidade. Durante a fiscalização, os agentes do Conselho verificam se as atividades técnicas estão sendo conduzidas por profissionais habilitados, bem como a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e as placas de identificação em obras.

Extrema, um dos municípios abrangidos pela Inspetoria de Pouso Alegre, é uma cidade que está em franco desenvolvimento, segundo o inspetor-chefe do Crea-MG em Pouso Alegre, engenheiro florestal Marlúcio Carvalho Milagres. “As atividades da engenharia estão por toda parte no município. Nesta ação, fiscalizamos obras e empresas com o objetivo de verificar se elas estão tendo o devido acompanhamento técnico e com o profissional habilitado”, explicou o inspetor. “Desta forma, todos ganham, ou seja, o cidadão, a cidade, as empresas, os profissionais, enfim, toda a sociedade”, destacou.

A blitz se caracteriza por ser concentrada, em local e duração, e mais ágil, por contar com um maior número de fiscais. O gerente da Divisão de Fiscalização, engenheiro eletricista Nicolau Neder, afirmou que esse tipo de ação traz inúmeros benefícios para a população. “Durante uma blitz identificamos, por exemplo, o exercício ilegal da profissão de engenharia, agronomia e geociências. A população não deve ficar exposta aos riscos advindos de serviços técnicos sendo desempenhados por pessoas sem atribuição e sem habilitação legal”. Até setembro deste ano, foram realizadas 53 blitze em todas as regiões do estado, fiscalizando obras, empresas, contratos, quadro técnico e crédito rural. As principais irregularidades encontradas foram a falta de profissionais legalmente habilitados na execução de serviço de engenharia e a ausência de registro de empresa. O Conselho verifica e fiscaliza o exercício e a atividade profissional de engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia, conforme prevê a Lei Federal 5.194/1966.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 1266

28/01/2023

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp