Notícias

Gestão de tempo em épocas de crise

Em meu último artigo, falei um pouco sobre a resiliência em tempos de crise e como podemos fazer para lidar melhor com os sentimentos oriundos da crise que estamos vivendo, como o medo e a ansiedade, por exemplo. Sentimentos, em certo sentido, naturais para o momento atual, afinal o vírus realmente tem seus perigos, e não temos certezas claras em relação ao futuro, o que justifica, portanto, esses dois sentimentos. Contudo, não podemos nos deixar dominar e, muito menos, nos paralisar por esses sentimentos. Nesse sentido, falarei de algumas práticas que considero fundamentais para um enfrentamento mais positivo e produtivo da pandemia e o consequente isolamento, ao qual estamos sujeitos, em decorrência do coronavírus.

09 de abril de 2020

kid-looking-through-window-with-painted-rainbow-du-CLEH8S4

Quando me refiro a ações e estratégias práticas, me refiro a ações que nos possibilitem gerir nosso tempo, nos ocupando mais e melhor. Se você está em isolamento, mas está trabalhando, em home office, este ponto fica um pouco mais demarcado, pelo menos no que tange à semana, pois durante o horário de expediente os afazeres, tarefas e rotinas ficam bem claros, e assim o tempo melhor ocupado, o que pode aliviar, em muito, a presença de sintomas como a ansiedade, por exemplo. Contudo, nos finais de semana de quem está fazendo home office e no dia a dia de quem está apenas em isolamento, sem trabalhar, como não se tem uma agenda definida de atividades a serem feitas e como, atualmente, algumas atividades que fazíamos antes, como caminhar no parque ou comer fora, não são mais possíveis, se faz necessário dimensionarmos nosso tempo, de modo a melhor administrá-lo.

Atividades e ocupações que possibilitem uma percepção diferenciada e menos danosa desse isolamento, como ler, estudar, fazer algum curso online e atividades físicas, que podem ser feitas em casa (alongamentos, abdominais, flexões, yoga, entre outras), além de atividades de entretenimento, como ver um bom filme ou assistir uma série, são alguns exemplos de ocupações que podemos adotar. O mais importante é a adoção e manutenção dessas atividades ao longo do dia, de modo a construirmos uma rotina de vida. Afinal, quanto mais nos ocupamos de coisas que gostamos e que nos fazem bem, construindo assim uma rotina, dando menos brecha para que esses sentimentos nos invadam.

Cabe salientar, também, a importância de mantermos hábitos saudáveis, como se alimentar bem, dormir bem, não ficar conectado por muito tempo ao celular ou computador, meditar, exercer nossa fé e espiritualidade, conversar e interagir pessoalmente com as pessoas com quem você mora ou virtualmente com outras pessoas, afinal falar sobre si e o que você sente e pensa, nesses tempos difíceis que estamos vivendo, é fundamental para o manejo de possíveis sentimentos aversivos.

Importante lembrar da eminente necessidade de não permitirmos que esses sentimentos negativos, como o medo e a ansiedade, nos dominem, por mais que eles tenham sua parcela de realidade. E é justamente nesse sentido que estratégias práticas de ocupação do tempo e de si próprio se apresentam. Pois, por mais que seja difícil em um primeiro momento fugir da ansiedade e praticar um exercício físico, por exemplo, quando insistimos, mesmo que a contragosto, e conseguimos realizar o exercício, logo percebemos seus efeitos positivos, no corpo e na mente.

Este é apenas um exemplo, mas serve também para qualquer outra prática que desejamos adotar, pois a medida que nos permitimos novas atitudes para com a vida, também possibilitamos uma transmutação de nossos medos e receios, transmutação essa que não se dá apenas pela via mental e racional do pensamento, mas também por uma relação com o corpo, com o tempo e com as ocupações que deles fazemos. Afinal, o nosso bem-estar e saúde mental dependem não só dos pensamentos que cultivamos, mas também das práticas que adotamos e da maneira como usamos nosso tempo.

Em resposta aos que me solicitaram: de acordo com a resolução do Conselho Federal de Psicologia, para controle de epidemias durante esse período de crise e isolamento, estou realizando atendimentos online. Para mais informações e agendamentos: WhatsApp (35) 99179-3162.

(Por psicólogo Rodrigo Coletty)

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 2525

13/08/2020

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp