Notícias

Justiça Eleitoral de Extrema suspende divulgação de pesquisa contratada por chapa de Luiz Carlos Bergamin

A Justiça Eleitoral de Extrema determinou, no início da noite de terça-feira, dia 10 de novembro, a suspensão da divulgação de mais uma pesquisa eleitoral em Extrema, por indícios de irregularidade. A pesquisa, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o nº MG-02954/2020, no dia 6 de novembro, foi contratada pelo CNPJ: 38373318000190 – Eleição 2020 Luiz Carlos Bergamin Prefeito, com realização da empresa Vox do Brasil Pesquisas e Participações LTDA – EPP.

11 de novembro de 2020

Imagem: Gazeta da Cidade.

WhatsApp-Image-2020-11-11-at-15.47.02-550×300

Segundo o registro, a pesquisa teria sido realizada no município entre os dias 7 e 10 de novembro, com 400 pessoas, para avaliar a disputa eleitoral para prefeito em Extrema. O registro também informa o custo de R$ 25.789,00, oriundo de recursos próprios.

O despacho da juíza da Comarca de Extrema, Caroline Dias Lopes Bela, informa que “havendo indícios de irregularidade da pesquisa objeto de representação e risco de dano irreparável ao equilíbrio da disputa eleitoral, defiro o pedido liminar, determinando a abstenção de publicação da pesquisa”. Acesse o documento: Despacho.

Lembrando que, na semana passada, a Justiça Eleitoral de Extrema já havia suspendido a divulgação de outras duas pesquisas (MG-04105/2020 e MG-03724/2020), também por indício de fraude.

Pesquisas eleitorais irregulares são consideradas crime punível com multa de R$ 53 mil a R$ 106 mil.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 2525

13/08/2020

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp