Notícias

Novo padrão de placas para veículos é implantado pela Polícia Civil de Minas Gerais

09 de março de 2020

Divulgação/PCMG

Novo-modelo-possui-logotipo-do-Mercosul-a-palavra-Brasil-e-a-bandeira-do-país-550×300

O novo padrão de Placas de Identificação Veicular (PIV) foi implantado pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em fevereiro, em atendimento à Resolução nº 780 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A adoção do novo modelo é obrigatória no primeiro emplacamento. Os veículos que possuem a antiga placa podem circular normalmente, sendo exigido migrar para o padrão atual apenas quando houver transferência de estado ou município, mudança de categoria, perda, furto, roubo ou dano à placa que está em uso.

“O modelo antigo, mais comum na cor cinza, deixa de ser fabricado. Por isso, em alguns casos, a nova PIV será exigida. Mas, mesmo os proprietários de veículos que não se encaixam nos casos de obrigatoriedade, também poderão adquirir a nova placa voluntariamente”, disse o diretor do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), delegado Kleyverson Rezende.

As novas peças apresentam diferenças em relação às antigas. Uma das alterações diz respeito à cidade do veículo, que não será mais informada. Além disso, a nova placa apresenta o padrão de fundo branco com uma faixa azul na parte superior, contendo logotipo do Mercosul, a palavra Brasil e a bandeira do país.

A sequência alfanumérica também mudou. O modelo anterior apresentava três letras e quatro números (LLL NNNN), o novo padrão possui quatro letras e três números (LLL NLNN), permitindo assim mais de 450 milhões de combinações alfanuméricas, o que soluciona a escassez de combinações de letras e números das placas antigas, que acabariam em poucos anos.

O que diferencia a categoria do veículo é a cor da fonte: preta para veículos particulares, vermelha para comerciais, azul para oficiais, verde para veículos em teste, dourada para os veículos diplomáticos e prateada para os veículos de coleção.

Agora, todo o processo de produção da placa é controlado por um sistema nacional informatizado, criado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em parceria com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). Para esse controle, as novas placas têm um Quick Response Code (QR Code) no canto superior esquerdo.

O objetivo do mecanismo é assegurar o monitoramento de todo o processo, desde a produção, logística, estampagem, instalação das placas até a verificação de autenticidade. Devido ao uso dessa tecnologia, o lacre de proteção não será mais utilizado. Por meio da leitura do QR Code com um aplicativo, os policiais e agentes de trânsito têm acesso às informações do veículo.

Atualmente, mais de 4,5 milhões de veículos circulam com a nova peça no país. O formato também é adotado na Argentina, Paraguai e Uruguai. Em Minas Gerais, os valores cobrados pelas novas placas são estabelecidos pelas empresas credenciadas, conforme livre concorrência de mercado.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 2525

13/08/2020

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp