Notícias

Quatro indicações do vereador Walderrama são atendidas pelo Executivo

O presidente da Câmara apresentou proposta para a construção de poços artesianos em localidades rurais

13 de agosto de 2021

Arte: Divulgação

foto_walderrama_pocosartesianos

A escassez de água no mundo inteiro está ligada ao estrago causado pelo aquecimento global, ao consumo crescente, à ausência das chuvas e consequentemente pelo aumento dos períodos de seca, à poluição e degradação das áreas e reservas vegetativas, além da degradação da disponibilidade dos recursos hídricos. Outro fator relevante que acaba com a água nas torneiras é a ausência de infraestruturas básicas que atendem a população.

O presidente da Câmara, Sidney Soares Carvalho (Walderrama), preocupado com o suprimento hídrico do município, apresentou as indicações de construção de poços artesianos para fornecimento de água às famílias que residem nas regiões rurais que compreendem os bairros do Salto, Forjos e Tenentes. As indicações fazem parte do Projeto de Lei Complementar nº 240.

A ideia é atender as comunidades que sofrem com a falta d’água, principalmente por ser uma necessidade básica e humanitária. “Infelizmente temos registros da ausência hídrica em diversas regiões do município, por isso precisamos tomar providências que tragam qualidade de vida a todos. Estamos buscando esta alternativa para que as pessoas possam captar água por meio de poços artesanais”, disse Walderrama.

Benefício também para o homem do campo

A água potável é um recurso vital para toda a população, mas os agricultores possuem uma demanda ainda maior, uma vez que precisam do recurso para a criação de animais e irrigação das plantações. No Brasil, 72% da água consumida é utilizada para agricultura, portanto, a falta desse recurso pode ser muito prejudicial para esse segmento.

“Uma ótima opção para os agricultores são os poços artesianos, que acabam com os problemas de estiagem e racionamento, e garantem água de qualidade, fornecimento contínuo de água e economia, além de não interromper as suas colheitas ou o alimento na mesa da família”, ressaltou o presidente da Câmara.

O poço artesiano evita qualquer tipo de contaminação da água, além de ser uma grande ferramenta para a sobrevivência e uma fonte segura no abastecimento urbano. “Estamos preocupados com o bem-estar das nossas famílias. Também apresentaremos uma nova proposta para ampliar este benefício para mais bairros e localidades de Extrema”, concluiu Walderrama.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 1266

28/01/2023

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp