Notícias

Secretaria de Cultura de Extrema divulga lista de documentos históricos importantes para estudantes e interessados

05 de janeiro de 2022

Detalhe da Provisão de Capela Curada - 1832. Arquivo Metropolitano dom Duarte Leopoldo e Silva

Detalhe da Provisão de Capela Curada – 1832. Arquivo Metropolitano dom Duarte Leopoldo e Silva

Em 2021, a Secretaria de Cultura de Extrema continuou a realizar atividades de pesquisa relacionada a temas e períodos da história do município. Visando auxiliar cidadãos e estudantes interessados em estudar aspectos históricos da cidade, o departamento selecionou alguns dos documentos mais importantes já localizados até o momento:

1)            Assentos de batismo, de casamento e de óbito de moradores locais contidos em livros do Arquivo Paroquial de Camanducaia – da década de 1770 até 1832. (Arquivo Paroquial de Camanducaia);

2)            Autos de Patrimônio da Capela de Santa Rita – da Freguesia de Camanducaia – 1819. (Arquivo Metropolitano Dom Duarte Leopoldo e Silva – São Paulo);

3)            Ata da eleição da mesa instalada na Capela de Santa Rita (da Freguesia de Camanducaia) para a nomeação de Juiz de Paz e suplente da mesma -1831. (Museu Tuany Toledo – Câmara Municipal Pouso Alegre);

4)            Provisão de Capela Curada para a Capela de Santa Rita – da Freguesia de Camanducaia – 1832. (Arquivo Metropolitano Dom Duarte Leopoldo e Silva – São Paulo);

5)            “Formulário” do Censo da Província de Minas Gerais do Distrito de Santa Rita preenchido pelo Juiz de Paz, Félix José de Noronha Negreiros – que atuou no Registro do Jaguari. Este formulário consta no “Mapa de população de diversos distritos de Pouso Alegre, 1833”. (Arquivo Público Mineiro – Belo Horizonte);

6)            Listas dos cidadãos que integraram a Guarda Nacional – do Distrito da Capela de Santa Rita (Freguesia de Camanducaia) – da década de 1830. (Museu Tuany Toledo – Câmara Municipal Pouso Alegre).

Para a responsável pela Divisão de História de Extrema, Rafaela Ferreira da Silva, “é impossível tratar da história de Extrema sem analisar tais documentos, pois eles contêm referências ao “Lugar do Registro”, ao “Cemitério do Registro” e ao “Bairro do Registro”, e demonstram que casamentos foram celebrados no Registro do Jaguari entre 1812 e 1815 – sendo que, de forma significativa, a primeira referência à Capela de Santa Rita, localizada até o momento, data de 1816”. Os documentos, contudo, não são os únicos que devem ser levados em consideração por quem pretende iniciar pesquisa sobre a região. Nessa ação, devem ser considerados documentos relacionados à concessão de sesmarias, à criação de freguesias e vilas diversas, ao estabelecimento dos limites entre Minas Gerais e São Paulo, ao Registro do Rio Jaguari, à Capela de Santa Rita, entre outros. A análise de tais documentos (na sua grande maioria manuscritos) deverá ser realizada a partir de um diálogo com autores que abordam o contexto estudado e questões vistas nos documentos localizados.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 1213

22/01/2022

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp