Notícias

Secretaria de Saúde apoia Setembro Amarelo pela valorização da vida e no combate ao suicídio

O tema desta 6ª edição no Brasil é ‘Criando esperança por meio da ação’ e o alerta é dirigido aos amigos e familiares das pessoas que sofrem com depressão

22 de setembro de 2021

suicide-3645249_1920

Setembro abrange diversas causas a serem apoiadas, como, por exemplo, a prevenção do câncer de intestino, pela qual a secretaria de saúde de Extrema já manifestou apoio; a campanha de doação de órgãos, a conscientização e prevenção das doenças cardiovasculares, os cuidados com a saúde da pessoa idosa e a atenção aos sinais do suicídio, cujo movimento é denominado Setembro Amarelo.

Na campanha de combate ao suicídio serão trabalhadas ações internas em Extrema durante todo o mês de setembro, para conscientizar a população sobre o assunto e ajudar aqueles que sofrem com a depressão. O tema –“Criando esperança por meio da ação” será frisado para que haja uma maneira correta de salvar as pessoas que demonstram interesse no autoextermínio.

A comunidade será orientada sobre a valorização da vida através dos psicólogos, enfermeiros e agentes comunitários de saúde. Os interessados no acompanhamento familiar deverão ir até a unidade mais próxima para ter um primeiro contato. Quem quiser passar por um psicólogo gratuito pode agendar um horário específico de forma presencial na unidade de saúde.

Estudos internacionais demonstram que a pandemia de Covid-19 ampliou os fatores de risco associados ao suicídio, devido à perda de emprego, traumas, abusos sexuais e transtornos mentais. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021, em 2020 o número de suicídios no Brasil foi de 12.895 mortes, um crescimento de 0,4% em relação ao ano de 2019.

Nas unidades de Estratégia Saúde da Família (ESF) é oferecida total assistência à população: “A essência da Atenção Primária à Saúde (APS) é o cuidado e o olhar integral família em todo e contexto de prevenção e promoção à saúde, seja assistencial, nutricional, fisioterapêutica, psicológica, fonoaudiológica, avaliação e atividade física, médica, com exames clínicos, exames de rotina, entre outras orientações e condutas”, disse a coordenadora do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 1266

28/01/2023

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp