Notícias

Vereadores encaminham ofício ao Governo de MG para suspensão na cobrança de água e esgoto

27 de março de 2020

Fotos: Ascom/Câmara Extrema

Vereadores-Leandro-Marinho-Rene-Cursino-Telma-Maciel-Tita-Walderrama-e-Danilo-de-Morais

Na quinta-feira, dia 26 de março, ao final da 6ª Sessão Ordinária da Câmara de Extrema, seis vereadores do Legislativo encabeçaram um pedido que sugere ao governador de Minas Gerais, Romeu Zema, a isenção da cobrança de água e de esgoto por parte da Companhia de Saneamento e Abastecimento (Copasa). O ofício também foi enviado ao prefeito, João Batista da Silva.

“Estamos propondo aos chefes do Poder Executivo – nos âmbitos Estadual e Municipal – a utilização da dívida ativa da Copasa com a Prefeitura Municipal de Extrema para subsidiar as tarifas dos moradores que, possivelmente, serão afetados economicamente pela crise causada pelo vírus Covid-19”, disse o presidente da Casa de Leis, Leandro Marinho.

A medida se daria por um projeto de lei que propõe a suspensão da cobrança da tarifa de água e esgoto pelo tempo que se estendesse o estado de calamidade pública causado pelo vírus. A dívida gerada pela suspensão da cobrança seria abatida do valor da dívida ativa que a empresa tem com o município, visto que a mesma hoje gira em torno de R$ 21 milhões.

Segundo o vice-presidente da Câmara, pastor René Cursino, é fundamental a criação de políticas públicas que vão de encontro à necessidade e aos anseios da população. A 1ª secretária da mesa diretora, Telma Aparecida Maciel, e o 2º secretário, Rafael Silva de Souza Lima (Tita), apoiaram a ideia.

“Os impactos econômicos do coronavírus já estão sendo notados. Inúmeros estabelecimentos comerciais mineiros estão sendo fechados e no município não será diferente. Inevitável e infelizmente isso causa efeito direto na renda dos trabalhadores ‘CLTistas’, informais e autônomos. É dever do estado proteger a população em situação mais vulnerável e atender suas necessidades básicas”, defenderam.

De acordo com os vereadores Sidney Soares de Carvalho (Walderrama) e Danilo de Morais, o poder público precisa estar atento às necessidades da comunidade que tanto luta para vencer mais esta batalha. “É uma questão de saúde pública que envolve vários setores, como a economia, a geração de emprego e renda, a subsistência familiar, a saúde da família, etc. Vamos travar mais essa lutar a favor do cidadão”.

O documento conta com o peso da assinatura dos vereadores e endossa a responsabilidade com o maior bem de um município, que é a sua população. “Também estamos reforçando o apoio as medidas que visam amenizar os efeitos causados por essa pandemia que nosso estado e município enfrentam”, concluiu Leandro Marinho.

Vereadores Leandro Marinho, René Cursino, Telma Maciel, Tita, Walderrama e Danilo de Morais

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 2525

13/08/2020

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp