Notícias

Vereadores inspecionam os trabalhos realizados no Canil Municipal de Extrema

24 de julho de 2021

Foto: Divulgação

semlegenda

Os vereadores Sidney Soares Carvalho, o Walderrama – presidente da Câmara, Rafael Silva de Souza Lima, o Rafael ‘Tita’ – vice-presidente, Telma Aparecida Maciel – 1ª secretária da mesa diretora –, Marcio José Viera e o chefe de gabinete da vereadora Tamara Martiniuk, Diego Reis, estiveram na quarta-feira, dia 21 de julho, no Canil Municipal para fiscalizar o trabalho que é prestado pelo setor de Zoonoses da Prefeitura de Extrema.

Os edis percorreram todo o espaço e as estruturas que atendem atualmente 91 animais. Conversaram ainda com as responsáveis técnicas e fizeram um levantamento das benfeitorias que o canil mais necessita. Os parlamentares cobram do Executivo a realização de melhorias emergenciais e a construção de um novo espaço.

“Aqui fazemos o recolhimento dos animais – em sua maioria cães e gatos – e tomamos todas as providências em relação aos primeiros socorros. Adotamos todos os protocolos de higiene com extremo cuidado sanitário para que os nossos bichinhos tenham uma vida mais digna e permaneçam distantes da violência e dos maus-tratos”, comentou a responsável do Canil, Dra. Thais Caroline de Souza. Ainda de acordo com a veterinária, de janeiro até o momento foi catalogado um total de 91 animais: 76 cães e 15 gatos. “Além do resgate, recebemos diretamente do Centro de Zoonoses todas as denúncias. Na sequência precedemos ao salvamento e proteção dos animais”, completou.

Centro de Zoonoses

O Setor de Zoonoses da Secretaria de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Extrema tem trabalhado atualmente numa intensa demanda. “O número de animais que se encontram em estado de vulnerabilidade em todo o município é bastante significativo mesmo com a realização do controle populacional, a qual que se refere às castrações, disse a Dra. Patrícia Ribeiro Bueno Olivotti, representante técnica setorial.

“Nosso atendimento é desmembrado em parceria com a ONG Soul Animal (na triagem animal) e para pessoas que se encontram em estado de debilidade financeira e social, na realização de denúncias de maus-tratos e de acidentados e nas castrações que ocorrem após o agendamento por meio de cadastro presencial. O cidadão precisa trazer alguns documentos que comprovem a sua residência no município – como título de eleitor, comprovante de endereço e holerite ou comprovante de renda inferior a dois salários mínimos. A apresentação dos documentos é fundamental, pois a prioridade é atender a população extremense e prestar um serviço de qualidade com condições sanitárias dignas”, completou.

Castração

A veterinária Dra. Mônica Calderaro disse que diariamente são realizadas de 10 a 12 castrações. Para castrar é preciso que o cão e gato tenham mais de quatro meses e o cadastro é efetivado mediante apresentação de documentos. “A castração é a forma realmente eficaz e humanitária de controle populacional de animais, diminuindo o abandono”, ressaltou.

Denúncias contra maus-tratos

A Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente e à prática de crimes de maus-tratos a animais. A punição diante da mudança introduzida pela Lei nº 14.064/200 passou a ser de reclusão de dois a cinco anos, multa e proibição de guarda quando os maus-tratos se referirem a cães e gatos. “Trabalhamos com muito carinho para cuidar de todos os animais que chegam até nós. Em relação à denúncia, a secretaria os recebe e analisa cada situação com extrema responsabilidade e compromisso – sempre priorizando o bem-estar do animal”, destacou Dra. Patrícia.

Ainda de acordo com Patrícia Olivotti, é feita uma análise minuciosa quando o pet chega ao setor. Constatada a emergência, procede-se o atendimento imediato. “Priorizamos os casos de urgência, que são os animais atropelados, acidentados e àqueles que geram risco à população. Casos de maus-tratos, orientações, abandono são avaliados separadamente. Trabalhamos em parceria com as polícias Militar e Ambiental para que seja efetivada uma ação mais repressiva e numa eventual avaliação de periculosidade do caso”.

Quando acionar

No caso de maus-tratos quando relacionado à agressão ao animal, a denúncia pode ser feita diretamente pelo 190. Se for caso de o animal não ter água, alimento, falta de cuidados veterinários ou preso em espaço pequeno ou com muita sujeira, o contato é diretamente com o setor via telefone (35) 3435-6245. Já no caso de animais errantes (de rua) e se eles estiverem debilitados, a população pode acionar o Setor de Zoonoses. Para ocorrências que envolvam atropelamento fora de horário de expediente existe o plantão através do número (35) 98861-5325. Por final, no caso de acidentes com animais particulares, o atendimento emergencial é feito no Centro de Zoonoses para, posteriormente, o tutor levá-lo a um médico veterinário particular.

Perguntado sobre a vistoria, Walderrama adiantou que conta com apoio dos vereadores Rafael Tita, Telma, Tamara, Marcinho e Leandro Marinho quando o assunto é militância animal. “Estamos bastante preocupados com a situação atual do Canil Municipal. Sabemos da intenção do Executivo a qual se destina à construção de uma área que irá atender aos nossos bichinhos. Por isso estamos aqui para fiscalizar o funcionamento da Zoonoses e garantir que os animais abandonados e que passaram por qualquer tipo de violência sejam atendidos e continuem tendo qualidade de vida. Acionaremos o Executivo para que providência sejam tomadas”.

O Setor de Zoonoses funciona na Rua Presidente Kennedy, 355, Centro (antigo Pronto Atendimento – PA). O telefone direto é o (35) 3435-3438. Vale lembrar que a Zoonoses conta com uma equipe técnica, composta por médicos e auxiliar de veterinários, tratador, auxiliar geral e recepcionista. As ações do setor são embasadas nas portarias do Ministério da Saúde e na legislação municipal.

Compartilhe:

Veja também

EDIÇÃO IMPRESSA

Edição nº: 1264

14/01/2023

Ver todas

receba a

Edição digital

direto no seu

whatsapp